TORRES DEL PAINE

O Parque Nacional Torres del Paine localiza-se no sul do Chile, na região de Magalhães, uma das dezesseis que formam o país e cuja a capital é a cidade de Punta Arenas. É uma área composta por montanhas, florestas, lagos e um enorme glaciar, dando vida a um cenário magnífico na Patagônia chilena.

Com aproximadamente 242.000 hectares, o parque se encontra na cadeia montanhosa del Paine. Em maio de 1959 foi fundado como parque nacional e em 1978 declarado como Reserva da Biosfera pela UNESCO.

Estima-se que se formou há 12 milhões de anos. A imagem mais conhecida é a das três torres de granito, com altura que chega a 2.500 m e que foram esculpidas pela força do gelo glacial. Com suas geleiras, além rios e lagos frutos do degelo, formam a rica hidrografia do parque, fornecendo água limpa, potável e gelada ao longo de suas trilhas.

O Glaciar Grey é um dos maiores espetáculos naturais do Parque Nacional Torres del Paine, uma enorme massa de gelo que atravessa o horizonte. Ele faz parte da terceira maior reserva de água do planeta.

Chile: Torres del Paine, Glaciar Grey
Glaciar Grey / Foto: Algum Lugar na Terra

Torres del Paine é normalmente um destino mais popular entre amantes de camping e trekking, pois oferece dois conhecidos circuitos para trilhas (circuito W e circuito O), mas também é um local incrível para quem pretende passar o dia ou hospedar-se com muito conforto em um hotel, de onde poderá fazer caminhadas mais curtas, passeios de barco ou a cavalo por essas lindas paisagens. 

Existem estradas internas que podem ser percorridas de carro, com pontos de parada de onde é possível ter a visão de alguns pontos do parque, desfrutar da paisagem e tirar belas fotos, mas a maior parte do parque não pode ser vista à essa distância.

Para quem quer ter a experiencia de acampar, esse é o lugar. Possui uma ótima estrutura, sendo considerado um dos melhores lugares para acampar no Chile. Você encontrará uma natureza extremamente preservada, uma paisagem completamente diferente das existentes no Brasil, fazendo deste lugar um destino magnífico.

COMO CHEGAR

Para visitar o Parque Torres del Paine, normalmente utiliza-se a cidade de Puerto Natales como base. Está localizada a cerca de 115 km de uma das duas entradas principais do parque, a Laguna Amarga. A distância de Santiago até a entrada principal do parque é de 2.785 km, passando pelo território argentino. Não sendo a melhor opção chegar de carro ou ônibus se você estiver na capital chilena. A maneira recomendável é ir de avião até Punta Arenas, no Chile, ou El Calafate na Argentina.

De Punta Arenas

O aeroporto mais próximo é o da cidade de Punta Arenas, saindo do Brasil os voos normalmente fazem escala em Santiago. De Santiago à Punta Arenas os voos duram em torno de 3 horas. De Punta Arenas a distância até a entrada do parque (Laguna Amarga) é de 352 km.

Esse trajeto pode ser feito de carro ou ônibus. Se for de ônibus, terá que ir até Puerto Natales e de lá tomar outro para o parque. As empresas que fazem o trajeto são a Bus-Sur, Buses Fernández e Buses Pacheco, e as passagens podem ser compradas online ou na própria rodoviária. A passagem custa em torno de $ 8.000 (R$53).

Recomendamos ficar hospedado em Puerto Natales antes de ir à Torres del Paine. De Puerto Natales pode-se pegar um ônibus da rodoviária que leva até a entrada do parque, são cerca de 100 km percorridos em quase 2 horas. Normalmente o ônibus sai pela manhã, às 07h30.

De El Calafate

Outra opção é chegar pelo aeroporto de El Calafate, na Argentina. De lá é possível ir a Puerto Natales, que está a 274 km, ou ainda, ir diretamente ao parque, distante 253 km (Laguna Amarga). Esse percurso pode ser feito de carro ou de ônibus.

QUANDO IR

Por se localizar na região da Patagônia, as melhores épocas para visitar o parque são a primavera e o verão. O Parque Nacional Torres del Paine abre o ano inteiro, com algumas restrições em determinadas épocas devido à condições climáticas.

Alta Temporada

Se estende de 1° de outubro a 30 de abril, nestas datas os ingressos custam mais caro. Neste período o parque recebe cerca de 80% das visitas anuais, por isso, se quiser ficar mais isolado, com mais contato com a natureza, lembre-se que o parque estará mais cheio.

Nessa época os dias têm uma duração mais longa, fazendo com que você aproveite mais a paisagem. Todos os serviços do parque operam durante a alta temporada. Entendemos que esse é o melhor período para visitar o parque. Se puder, evite os meses de dezembro e janeiro, quando há um fluxo ainda maior de turistas, considere datas próximas à baixa temporada.

O clima neste período costuma ser mais temperado, de 4°C a 18°C e o vento costuma ser forte. É comum ocorrerem chuvas, provocando uma sensação térmica mais baixa.

Baixa Temporada

Ocorre de 1° de maio a 30 de setembro, época em que um número muito menor de pessoas circula no parque, a duração dos dias é mais curta e alguns setores do parque não operam, por motivos de segurança em virtude de condições climáticas.

O circuito O, que abrange todo o parque, normalmente não pode ser realizado durante esse período, podendo fazer apenas as trilhas do circuito W, Este também pode ter trechos fechados se houver necessidade ou nas regiões que dão acesso aos mirantes mais altos.

As condições do clima se caracterizam por baixas temperaturas, de -2°C a 5°C, são frequentes as chuvas de baixa intensidade e a neve nos meses de junho e julho. No geral os ventos são de baixa intensidade, mas ocasionalmente pode ocorrer ventos fortes, diminuindo ainda mais a sensação térmica.

Torres del Paine
Glaciar Francês / Foto: Algum Lugar na Terra

HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO DO PARQUE

O fuso horário na região é de -1h em relação ao horário de Brasília. A abertura do parque acontece diariamente durante o ano inteiro.

Alta Temporada

De outubro a abril: as portarias Rio Serrano e Laguna Amarga funcionam das 07h às 21h, e a portaria Lago Sarmiento das 08h às 20h.

Baixa Temporada

De maio a setembro: a portaria Rio Serrano funciona das 08h30 às 18h15, e as portarias Laguna Amarga e Lago Sarmiento das 08h30 às 17h30.

QUANTO TEMPO PRECISO PARA VISITAR TORRES DEL PAINE

Existem algumas formas de conhecer o parque, desde passeios de um dia com agência turística ou de carro, passando por alguns mirantes de onde pode-se ter uma visão da paisagem, navegar pelo Lago Grey, cavalgar ou fazer trilhas. O tempo necessário para visitar o parque vai de 1 a 12 dias, dependendo o for fazer. O recomendável é passar pelo menos uns 5 dias na região.

Embora o site oficial do parque tenha a informação da distância ser de 93,2 km, nós fizemos o circuito O em fevereiro de 2017 e a distância real percorrida foi de 117 km. Outro cuidado que deverá ter com o mapa disponibilizado pelo parque é o tempo que consta para ir de um ponto a outro, são menores do que a realidade. Um tempo indicado de 4h, por exemplo, gasta-se em torno de 6h caminhando em ritmo normal.

Para fazer o circuito “O” você precisará ter um bom preparo físico e persistência, além de barraca, saco de dormir e outros equipamentos de camping, além de levar a sua própria comida. Alguns refúgios têm acomodações, além da área para acampar.

Podemos dizer por experiencia própria, que cada dia o parque valeu muito a pena, cada passo éramos recompensados a imensidão da natureza que nos rodeava, foi uma das melhores experiências que já tivemos, e um dos lugares mais bonitos que já fomos.

Torres del Paine: Circuito O
Torres del Paine, Circuito “O” / Foto: Algum Lugar na Terra

Circuito O

O circuito O é um trekking (caminhada) de longa distância que percorre todo o perímetro do parque, passando por pontos que somente podem ser visitados desta forma. Para realizar o circuito completo, você precisará percorrer cerca de 117 km, o que levará de 8 a 12 dias. É necessário ter um bom preparo físico e dispor de equipamento apropriado para acampar. Em alguns refúgios há acomodações, além de área de camping. Nós fizemos o circuito em fevereiro de 2017.

Embora o site oficial do parque tenha a informação da distância ser de 93,2 km, a distância real percorrida foi maior. Outro cuidado que deverá ter com o mapa disponibilizado pelo parque é o tempo que consta para ir de um ponto a outro, são menores do que a realidade. Um tempo indicado de 4h, por exemplo, gasta-se em torno de 6h caminhando em ritmo normal.

Cada dia o parque valeu muito a pena, cada passo éramos recompensados a imensidão da natureza que nos rodeava, foi uma das melhores experiências que já tivemos, e um dos lugares mais bonitos que já fomos.

Circuito W

O circuito W é um trekking de média distância que engloba a parte frontal do parque, sendo ele parte do circuito completo O. Pelo fato da distância ser menor quando comparada ao circuito O é o mais popular entre as pessoas que visitam o parque. Nos campings que fazem parte do circuito W há melhor estrutura. Para completá-lo, visitando todos os miradores, você terá que andar por cerca de 75 km, o que leva normalmente de 4 a 6 dias, dependendo do seu preparo.

É chamado de circuito W porque no mapa o trajeto tem exatamente o formado da letra W. Para quem pretende fazer as trilhas do circuito W ou O é importante saber que desde 2016, para ingressar no parque é imprescindível ter as reservas nos refúgios ou campings para pernoitar durante a trilha, pois elas são conferidas na entrada e em cada camping, refúgio ou guardería (onde ficam os guardas do parque). Isto não se aplica aos que estão fazendo um passeio de 1 dia.

Passeio de 1 dia

Day tour: As agências de turismo oferecem o passeio de 1 dia, saindo de Puerto Natales. Você poderá avistar a cordilheira Paine (também conhecida como maciço Paine). Fará um caminhada de 20 minutos até a beira do Lago Grey, de onde terá outra vista do Maciço Paine e os Cuernos del Paine, visitará o mirante do Lago Pehoé, além da Lagoa Amarga e o mirante do Lago Sarmiento. É possível ter uma visão geral das lindas paisagens da região. Mas, recomendamos, se tiver tempo e disposição, faça alguma de suas trilhas.

Treeking até as torres: para quem tem menos tempo, ou não quer dormir no parque, uma boa opção é fazer a caminhda ir até a entrada do parque Laguna Amarga, de ônibus ou carro a partir de Puerto Natales, e faça a trilha até o ponto mais famoso do parque, as Torres del Paine. O trajeto não é dos mais fáceis, um trajeto de cerca 19 km (ida e volta), mas que recompensará qualquer esforço. Parte do percurso pode ser realizado a cavalo, caso tenha interesse.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES DO PARQUE

O que atrai tantos visitantes ao parque são suas paisagens e sua natureza imponente, e não um ponto turístico específico, Mesmo assim, existem algumas jóias dentro de Torres del Paine, e vamos falar um pouco sobre cada uma delas.

Os pontos de destaque dentro do parque são as 3 Torres, o Lago e Glaciar Grey, o Valle do Francês, Los Cuernos, Lago e Glaciar Dickson, Laguna Azul e Lago Nordenskjold.

As 3 Torres

As três torres de granito, Torre d’Agostini (2.850m), Torre Central (2.800) e Torre Monzino (2.600) fazem parte do maciço Paine, e são o cartão postal do parque. Para se chegar ao mirador da base das torres precisa-se fazer uma trilha de aproximadamente 19 km (ida e volta) desde o refúgio e Hotel Las Torres, o ponto mais próximo que se pode chegar de carro. As fotos, infelizmente, não conseguem transmitir o que é estar lá, diante destes 3 gigantes de pedra.

Torres del Paine
Torres del Paine / Foto: Algum Lugar na Terra

Valle do Frances e Mirador Britânico

É um lindo vale entre montanhas, sendo uma das principais atrações do Parque Nacional Torres del Paine. É dominado por uma magnífica geleira suspensa, o glaciar Francês, além de florestas e o rio Francês.

Para chegar até ao mirador do vale demora-se cerca de 2h a partir camping Italiano, do podemos ter o primeiro vislumbre da geleira. É possível ouvir o barulho de pequenas avalanches e de placas de gelo se desprendendo da geleira. Para seguir até o mirador Britânico a partir do mirador Francês leva-se mais 3h.

Torres del Paine: mirador Francês
Torres del Paine: mirador Francês / Foto: Algum Lugar na Terra

Zona de Cuernos

Localizado a 3,5 km de Pudeto, é o local onde pode-se apreciar em primeiro plano a grandiosidade dos picos de granito Cuernos del Paine e o Cerro Paine Grande, gigantes que merecem destaque no parque. Neste mirador podemos sentir os ventos fortes característicos da Patagônia.

Lago e Glaciar Grey

O Glaciar Grey é uma enorme massa de gelo que atravessa o horizonte. Possui um comprimento de 28 km e uma altura a partir do nível d’água de cerca de 30 m, se estendendo por uma área de 270 km². Estar diante desta imensidão de gelo é algo que impressiona, e é um privilégio.

Uma visão incrível, para quem faz o circuito “O” é no Paso John Garner, quando avistamos ele de cima, e pela primeira vez durante a trilha, e passamos a caminhar a sua esquerda, momentos inesquecíveis do trajeto. Ele também pode pode ser visto em um passeio de catamarã, como também do mirador Grey e nas áreas próximas ao refúgio e camping Grey.

Torres del Paine, Glaciar Grey
Glaciar Grey / Foto: Algum Lugar na Terra

Lago Nordenskjöld

O lago recebeu esse nome em homenagem ao sueco Otto Nordenskiöld, que passou pela região no início do século XX e teria descoberto o lago. Durante a trilha, trechos do circuito W o caminho segue costeando o lago. A partir do mirador do Lago Nordenskjöld temo uma linda vista do Paine Grande em contraste com a cor esverdeada de suas águas.

Torres del Paine: lago Nordenskjöld
Lago Nordenskjöld / Foto: Algum Lugar na Terra

Lago e Glaciar Dickson

Devido ao redução do tamanho dos glaciares ao longo do tempo, este lago agora se estende até a Argentina, tornando-se binacional. É formado pelas águas do glaciar de mesmo nome. O lago e Glaciar Dickson estão no setor do parque para aqueles que fazem o circuito O e pode ser visto a partir do entorno do camping localizado na beira do lago.

Torres del Paine: Glaciar e Lago Dickson
Glaciar e Lago Dickson / Foto: Algum Lugar na Terra

Laguna Azul

É o único lugar no parque onde você pode ver completamente as Torres del Paine, sem a necessidade de fazer trekking. Nos dias em que o céu não está encoberto, podemos ver ao fundo os 3 picos de granito, proporcionando junto com a lagoa, um cenário maravilhoso.

Outros pontos de interesse

Existem diversos miradores de onde é possível observar a lindas paisagens do parque, como Mirador Salto Grande, Mirador Salto Chico, Mirador Cóndor, Mirador Lago Toro e Mirador Pehoé. Além de outros glaciares, como o Los Perros e o Pingo, e outros lagos, o Lago Sarmiento e o Pehoé.

ONDE SE HOSPEDAR

O local mais indicado para se hospedar é na cidade de Puerto Natales ou dentro do próprio parque. Puerto Natales é a cidade mais próxima da entrada do parque, e um bom lugar para ter como base e comprar mantimentos ates de fazer o trekking O ou W ou para os que vão apenas passar o dia no parque. Conta com boa estrutura de hospedagem, indo de campings a hotéis 5 estrelas.

Para dormir dentro do parque terá que apresentar suas reservas já na entrada. É muito importante fazê-las com a maior antecedência possível, pois são muito concorridas, principalmente no verão. No parque existem hotéis, refúgios e campings, sendo o mais comum, acampar.

Hotéis

São poucas opções dentro do parque, e concentram-se basicamente em 2 regiões, na área conhecida por Las Torres e na área do Lago Grey, pontos que são de mais fácil acesso. Os 2 principais são o Hotel Las Torres e Hotel Lago Grey.

Refúgios

Os refúgios são hospedagens que contam com quartos compartilhados, como um albergue, com algumas opções de alimentos para comprar, com restaurante e opção de box lunch, para quem vai seguir a trilha no dia seguinte e precisa levar a sua refeição para fazer no caminho.

Campings

Existem por todo o parque, inclusive alguns são gratuitos ao longo do circuito, mas para conseguir uma vaga, devem ser reservados com antecedência ainda maior. Na parte “de trás” do parque, que envolve somente o circuito O, em alguns pontos da trilha só existe a opção de camping, alguns com boa estrutura e outros sem opções de banho quente ou de chuveiro.

Mas todos tem acesso a água, banheiro e um local para cozinhar, além de pequenas lojinhas para comprar alimentos.

Há 2 empresas privadas que administram os campings e refúgios do Parque Torres del Paine, a Vértice Pagatônia e a Fantástico Sur. Além dessas, a CONAF (Corporação Nacional Florestal) administra os 2 campings gratuitos, o camping Paso e o Italiano.

Caso esteja planejando fazer o circuito W ou O, nós temos outro post onde contamos nossa experiência no parque e como fizemos para planejar a trilha e reservar os campings.

Torres del Paine: campingPaine Grande
Camping Paine Grande / Foto: Algum Lugar na Terra

QUANTO CUSTA

Os ingressos podem ser comprados nas entradas no parque, Laguna Amarga, Sarmiento ou Serrano. Somente dinheiro é aceito. Na alta temporada é possível pagar com dólar e euro, além do peso chileno. Na baixa temporada, apenas pesos são aceitos.

Também é possível comprar na rodoviária de Puerto Natales, onde somente é aceito o pagamento em cartão de crédito ou débito.

Preço do ingresso [tabela 2020]

  • Adultos maiores de 18 anos: $25.000 (R$ 162)
  • Adolescente de 12 a 17 anos: $12.500 (R$ 81)
  • Adultos maiores de 60: Entrada Gratuita
  • Voucher para mais de 3 dias: $35.000 (R$ 228)

Se você quiser saber mais sobre o Chile e descobrir outros locais para visitar, como o deserto do Atacama, temos um Guia Completo sobre o país.

Se você gosta de viajar para lugares onde a natureza é a protagonista, com cenários cinematográficos, não pode deixar de conhecer o Parque Nacional Torres del Paine.

2 comentários em “TORRES DEL PAINE”

  1. Descrição muito completa e detalhada,de maneira simples e objetiva. Estou gostando muito e vou acompanhar vcs por qualquer lugar da terra! Sucesso🌟⭐🌟⭐

    1. Muito Obrigado, Edna. Ficamos muito felizes com o seu retorno e em saber que a maneira como temos escrito tem sido clara e objetiva. Adorando a sua companhia. Grande beijo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *